Categorias
crônicas

Domingo – Eu, Gilbert e Leminski

Certo.

Uma vez eu estava assistindo “Gilbert Grape: Aprendiz de sonhador”, um dos meus filmes favoritos, e em uma cena a Becky pergunta pro Gilbert “O que você quer pra você?”. Ele hesita, mas responde “Eu quero ser uma pessoa boa.”

Eu também Gilbert, eu também. Ao mesmo tempo, sinto que necessito descobrir quem eu sou, porque sei que em algum lugar do tempo/espaço, eu me perdi, e estou tentando achar o caminho de volta.

Eu tenho estado triste pelas minhas últimas atitudes aqui no mundo. É como se eu não estivesse sendo o que gostaria, e nem me esforçando para tal.

Bom, hoje eu estava a fim de ler um poema, e encontrei um do Paulo Leminski bom:

tenho andado fraco

levanto a mão
é uma mão de macaco

tenho andado só
lembrando que sou pó

tenho andado tanto
diabo querendo ser santo

tenho andado cheio
o copo pelo meio

tenho andado sem pai

yo no creo en caminos
pero que los hay
                hay

Me identifiquei com esse.

Então, somos eu, o Gilbert e o Leminski nesse domingo.

Espero que você, leitor, esteja bem nesses tempos sombrios.